Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]


Algarvio e um alentejano...

por Moralez, em 11.12.17

Um algarvio e um alentejano foram parar à mesma barbearia.
Enquanto estavam a ser atendidos não se trocou uma única palavra.
Os barbeiros temiam iniciar qualquer conversa pois poderia descambar em discussão.
Terminaram a barba aos seus clientes mais ou menos ao mesmo tempo.
O barbeiro que tinha o algarvio na sua cadeira estendeu o braço para pegar o frasco do after-shave e foi prontamente interrompido pelo seu cliente:
- Nada disso, não quero! A minha mulher vai sentir esse cheiro e pensar que eu estive numa casa de prostitutas.
O outro barbeiro virou-se para o alentejano e indagou:
- E o senhor?
O alentejano respondeu:
- Ponha bastante, compadre! A minha mulher nunca lá esteve, por isso nã conhece o chêro!!!

So long fellows!

Autoria e outros dados (tags, etc)


Champanhe

por Moralez, em 07.12.17

Certo dia o Sr. Manuel vai à casa de banho e repara que a sua urina é parecida com espuma. Passada uma semana, o problema continua, ele já em pânico e resolve contar à mulher:
– Maria, ando com um grave problema!
– Diz lá o que se passa homem. – responde a mulher.

Diz o homem:
– Sabes… eu quando urino deito espuma…
Responde a mulher:
– Oh homem vai já ao médico ver o que isso é, pode ser uma coisa grave!

E assim foi, o Manuel foi consultar um especialista. Entra no consultório e pergunta o médico:
– Então diga lá o que o traz por cá.

Explica o paciente:
– Oh Sr. Dr. eu devo ter uma problema muito grave, sabe eu quando urino deito espuma…

Responde o médico:
– O quê? Oh homem isso deve ser gravíssimo! Mas não se preocupe que nós vamos ver o que se passa.

O médico fez uma recolha de urina para fazer análises e pediu ao sr. Manuel para voltar no dia seguinte. O Sr. Manuel todo nervoso lá foi no dia seguinte ao consultório e mal entrou, encontra o médico todo contente:
– Oh Sr. Manuel pá dê cá um abraço!!! Você é um homem de sorte!!
– Sou? Então porquê?! – Responde confuso o pobre homem.

Explica o médico:
– A espuma que você deita… é champanhe! Vá mas é para casa festejar…

O Sr. Manuel todo feliz da vida foi a correr contar à mulher:
– Oh mulher, afinal tanta preocupação para nada!
– Então?! – Pergunta intrigada a mulher.

Explica o homem:
– Aquela espuma que eu urino é champanhe. Vamos é beber e festejar!
– Boa ideia… vou já buscar os copos! – diz a mulher.

E o Sr. Manuel responde:
– Mas traz só um que tu bebes pelo gargalo…

 

So long fellows!

 

Autoria e outros dados (tags, etc)


Preservativo

por Moralez, em 06.12.17

A criada fazia a limpeza no quarto dos patrões.
Às tantas, depara-se com um preservativo, já usado, que estava debaixo da cama.
A criada, moça da aldeia, nada habituada a estas "modernices", com um lenço de papel, pega no preservativo e vai ter com a patroa...
-- Minha senhora... encontrei isto debaixo da sua cama e não sei o que é... isto é seu?
-- Oh Maria... tu não sabes o que isso é? Parece impossível!
-- Não, minha senhora, não sei!
-- Oh Maria... valha-me Deus... tu não gozes comigo! Então não sabes para o que é que isso serve?
-- Não, minha senhora, não sei qual será a serventia desta coisa!
A patroa, já um pouco "a ferver", pergunta:
-- Oh Maria... na tua terra não se faz amor?
-- Ah.. faz sim, minha senhora... mas não é até lhe arrancar a pele!

 

So long fellows!

 

 

Autoria e outros dados (tags, etc)


67 anos!

por Moralez, em 05.12.17

Um homem de 67 anos foi ao médico, e ao ser atendido, disse:
- Doutor, não sei o que anda a acontecer comigo; já não consigo fazer amor, não tenho erecção!
O médico respondeu:
-Meu caro senhor, isso na sua idade é mais do que normal.
-Mas como normal, doutor??? Eu tenho um primo de 89 anos que diz que dá 3 por dia!!!
Resposta do médico:
- Mas o senhor também pode dizer! As suas cordas vocais estão impecáveis!!!

 

So long fellows!

 

Autoria e outros dados (tags, etc)


Quero fazer amor!

por Moralez, em 04.12.17

Um casal morava num monte com uma filha de 20 anos e só ia ao monte a peixeira, o padeiro e a mulher com a carrinha com outros alimentos. Viviam isolados de outras povoações e um dia a filha disse:
– Mãe, quero arranjar um homem, tenho 20 anos, quero fazer amor!
Disse-lhe a mãe:
– Ó filha, aqui homem só o padeiro!
Respondeu a filha:
– Amanhã eu vou aceitar o pão!
Enfeitou-se toda e lá foi aceitar o pão, o padeiro era jovem mas não lhe ligou nenhuma e ela disse:
– Mãe, ele nem olhou para mim!
E a mãe:
– Amanhã vai outra vez aceitar o pão e diz-lhe qualquer coisa!
Ela muito enfeitada lá foi mas o padeiro não lhe ligou e ela furiosa agarrou-se ao jovem dizendo:
– Beija-me, faz amor comigo, estou louca para arranjar um homem!
Responde-lhe o padeiro:
– Também eu ando à procura de um para mim!…

 

So long fellows!

Autoria e outros dados (tags, etc)


Quando não corre como esperado…

por Moralez, em 03.12.17

Um homem conseguiu “engatar” uma mulher num bar e acaba levando-a para o seu apartamento.

As coisas começam a aquecer e ele tira a blusa da mulher, de imediato vai lavar as mãos, depois volta e tirou as calças da mulher, vai de novo lavar as mãos voltou e tirou o sutiã e as cuecas da mulher e de imediato vai novamente lavar as mãos. A mulher ao ver isto ficou admirada e disse:

- Eu acho que consigo adivinhar a tua profissão. Eu acho que deves ser dentista!

O homem muito impressionado responde:

- Sim, eu sou mesmo… como é que sabes?

É fácil, bastou ver que estás constantemente a ir lavar as mãos, por isso suspeitei logo.

Depois eles vão para a cama e fazem sexo. Cerca de uma hora depois a mulher veste a roupa e enquanto o faz diz ao homem:

- Sabe o que mais? Acho que deves ser um ótimo dentista.

- Porque achas isso? - pergunta o homem.

- Porque eu não senti absolutamente nada!

 

So long fellows!

Autoria e outros dados (tags, etc)


Deslizafácil!

por Moralez, em 02.12.17

Ontem na farmácia, um estudante de Marketing e Publicidade fazia perguntas aos clientes, para uma pesquisa de mercado:
- Por favor, minha senhora. Estou a fazer uma pesquisa sobre o produto "Deslizafácil", para determinar os usos da vaselina no lar.
A senhora poderia dizer-me como usa a vaselina?
Sem se fazer de rogada, a mulher responde:
- Em casa, usamos a vaselina para a pele seca, assaduras e quando fazemos amor.
Então o estudante, tentando nitidamente deixar a mulher embaraçada, faz a seguinte pergunta:
- É a primeira vez que ouço a respeito do uso da vaselina para fazer amor, poderia detalhar-me exatamente em quais locais e como é que ela é colocada?
Mais uma vez a mulher, sem se abalar, responde:
- Coloco um bocado na maçaneta da porta do quarto.
- ... Na maçaneta da porta???
- .. É... as mãos escorregam e isso impede que as crianças entrem!

So long mentes poluídas!!

Autoria e outros dados (tags, etc)


As mulheres e as casas de banho!

por Moralez, em 01.12.17

Relato de uma mulher numa casa de banho pública:

gogirlhumor.jpg

O grande segredo de todas as mulheres a respeito da casa de banho é que, quando eras pequenina, a tua mamã levava-te à casa de banho, ensinava-te a limpar o tampo da sanita com papel higiénico e depois punha tiras de papel cuidadosamente no perímetro da sanita.
Finalmente instruía-te: "nunca, nunca te sentes numa casa de banho pública!"
E depois ensinava-te a "posição", que consiste em balançar-te sobre a sanita numa posição de sentar-se sem que o teu corpo tenha contacto com o tampo.
"A Posição" é uma das primeiras lições de vida de uma menina, importante e necessária, que nos acompanha para o resto da vida. Mas ainda hoje, nos nossos anos de maioridade, "a posição" é dolorosamente difícil de manter, sobretudo quando a tua bexiga está quase a rebentar.
Quando “TENS” de ir a uma casa de banho pública, encontras uma fila enorme de mulheres que até parece que o Brad Pitt está lá dentro. Por isso, resignas-te a esperar, sorrindo amavelmente para as outras mulheres que também cruzam as pernas e os braços, discretamente, na posição oficial de “tou aqui tou-me a mijar!”.
Finalmente é a tua vez! E chega a típica "mãe com a menina que não aguenta mais” (a minha filhota já não aguenta mais, desculpe, vou passar à frente, que pena!). Então verificas por baixo de cada cubículo para ver se não há pernas. Estão todos ocupados.
Finalmente, abre-se um e lanças-te lá para dentro, quase derrubando a pessoa que ainda está a sair.
Entras e vês que a fechadura está estragada (está sempre!); não importa…
Penduras a mala no gancho que há na porta… QUAAAAAL? Nunca há gancho!! Inspeccionas a zona, o chão está cheio de líquidos indefinidos e fétidos, e não te atreves a pousá-la lá, por isso penduras a mala no pescoço enquanto vês como balança debaixo de ti, sem contar que a alça te desarticula o pescoço, porque a mala está cheia de coisinhas que foste metendo lá para dentro, durante 5 meses seguidos, e a maioria das quais não usas, mas que tens no caso de…
Mas, voltando à porta… como não tinha fechadura, a única opção é segurá-la com uma mão, enquanto com a outra baixas as calças num instante e pões-te “na posição”…
AAAAHHHHHH… finalmente, que alívio… mas é aí que as tuas coxas começam a tremer… porque nisto tudo já estás suspensa no ar há dois minutos, com as pernas flexionadas, as cuecas a cortarem-te a circulação das coxas, um braço estendido a fazer força na porta e uma mala de 12 quilos a cortar-te o pescoço!
Gostarias de te sentar, mas não tiveste tempo para limpar a sanita nem a limpaste com papel; interiormente achas que não iria acontecer nada, mas a voz da tua mãe faz eco na tua cabeça *“nunca te sentes numa sanita pública”*, e então ficas na “posição de aguiazinha”, com as pernas a tremer… e por uma falha no cálculo de distâncias, um finííííssimo fio do jacto salpica-te e molha-te até às meias!!
Com sorte não molhas os sapatos… é que adoptar “a posição” requer uma grande concentração e perícia.
Para distanciar a tua mente dessa desgraça, procuras o rolo de papel higiénico, maaaaaaaaaaas não hááááá!!! O suporte está vazio!
Então rezas aos céus para que, entre os 12 quilos de bugigangas que tens na mala, pendurada ao pescoço, haja um miserável lenço de papel… mas para procurar na tua mala tens de soltar a porta…???? Duvidas um momento, mas não tens outro remédio. E quando soltas a porta, alguém a empurra, dá-te uma trolitada na cabeça que te deixa meio desorientada mas rapidamente tens de travá-la com um movimento rápido e brusco enquanto gritas: OCUPAAAAAADOOOOOOOOO!!
E assim toda a gente que está à espera ouve a tua mensagem e já podes soltar a porta sem medo, ninguém vai tentar abri-la de novo (nisso as mulheres têm muito respeito umas pelas outras).
Encontras o lenço de papel!! Está todo enrugado, tipo um rolinho, mas não importa, fazes tudo para esticá-lo; finalmente consegues e limpas-te. Mas o lenço está tão velho e usado que já não absorve e molhas a mão toda; ou seja, valeu-te de muito o esforço de desenrugar o maldito lenço só com uma mão.
Ouves algures a voz de outra velha nas mesmas circunstâncias que tu “alguém tem um pedacinho de papel a mais?” Parva! Idiota!
Sem contar com o galo da marrada da porta, o linchamento da alça da mala, o suor que te corre pela testa, a mão a escorrer, a lembrança da tua mãe que estaria envergonhadíssima se te visse assim… porque ela nunca tocou numa sanita pública, porque, francamente, tu não sabes que doenças podes apanhar ali, que até podes ficar grávida (lembram-se??)…. Estás exausta! Quando paras já não sentes as pernas, arranjas-te rapidíssimo e puxas o autoclismo a fazer malabarismos com um pé, muito importante!
Depois lá vais pró lavatório. Está tudo cheio de água (ou xixi? lembras-te do lenço de papel…), então não podes soltar a mala nem durante um segundo, pendura-la no teu ombro; não sabes como é que funciona a torneira com os sensores automáticos, então tocas até te sair um jactozito de água fresca, e consegues sabão, lavas-te numa posição do corcunda de Notre Dame para a mala não resvalar e ficar debaixo da água.
Nem sequer usas o secador, é uma porcaria inútil, pelo que no fim secas as mãos nas tuas calças – porque não vais gastar um lenço de papel para isso – e sais…
Nesse momento vês o teu namorado, ou marido, que entrou e saiu da casa de banho dos homens e ainda teve tempo para ler um livro de Jorge Luís Borges enquanto te esperava.
“Mas por que é que demoraste tanto?” - pergunta-te o idiota.
“Havia uma fila enorme” - limitas-te a dizer.
E é esta a razão pela qual as mulheres vão em grupo à casa de banho, por solidariedade: uma segura-te na mala e no casaco, a outra na porta e a outra passa-te o lenço de papel debaixo da porta, e assim é muito mais fácil e rápido, pois só tens de te concentrar em manter “a posição” e "a dignidade".
Obrigada a todas por me terem acompanhado alguma vez à casa de banho e servir de cabide ou de agarra portas! Para os desgraçados dos homens que sempre perguntam “Querida, por que motivo demoraste tanto tempo na casa de banho?” …. IDIOTAS!


(Autor desconhecido)

 

So long fellows!

Autoria e outros dados (tags, etc)


José Chagas

por Moralez, em 30.11.17

Um funcionário da morgue está a trabalhar à noite, para examinar corpos antes destes serem sepultados ou cremados.

Examina um corpo, identificado como José Chagas, que está pronto para ser cremado, e descobre que o defunto tem o maior “mangalho” que ele já viu na vida. E pensa para si próprio:

– “Desculpe, Sr. Chagas. Mas não posso mandá-lo para o crematório com essa coisa enorme. Ela tem que ser conservada para a posteridade!”
Com um bisturi, remove o pénis do morto, guarda-o num frasco e vai para casa. A primeira pessoa a quem ele mostra a monstruosidade é sua mulher.
– “Tenho algo inacreditável para te mostrar, querida. Nem vais acreditar!”
Depois, abre o frasco e…. ao ver o conteúdo, a mulher grita, estarrecida:
– “Oh, meu Deus!!!!! O Chagas morreu?!?!?

 

So long fellows!

 

Autoria e outros dados (tags, etc)


Ou quê???

por Moralez, em 29.11.17

Uma loura, toda bem jeitosa, chega ao médico e diz-lhe:
- Doutor, eu já não consigo fazer amor com meu marido.
- A sério? Então conte-me lá, como é teu dia.
- Bem... pela manhã, quando estou a ir para ao trabalho, não passam autocarros onde moro e como eu não gosto de ir a pé, chamo um táxi. O taxista quer que eu lhe pague 30 euros e diz: "Vai pagar ou quê?" - eu, logicamente, escolho "o quê".
Quando chego ao serviço, o meu chefe vê que eu cheguei atrasada e diz, "vai fazer hora extra ou quê" e de novo eu escolho "o quê"…
Na mercearia às vezes falta-me dinheiro para pagar e o dono diz-me: "Vai pagar ou quê?" - eu, logicamente, escolho "o quê".
Depois quando chego a casa, já não consigo fazer amor com meu marido...
- Ai é... e então? Vamos ter que contar toda a história ao seu marido, ou quê???

 

So long fellows!

 

 

Autoria e outros dados (tags, etc)


Mais sobre mim

foto do autor


Segue-me


Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Follow


Arquivo

  1. 2017
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2016
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2015
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D





Pesquisar

  Pesquisar no Blog

Estatísticas