Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]


Os nossos dias, hoje em dia!

por Moralez, em 17.04.20

Estou a passar pela fase mais complicada da minha vida....

O governo e entidade patronal não querem que eu trabalhe....

A Psicogata não me quer em casa...

A polícia não me quer na rua...

O que devo fazer?

{ assim nascem os sem-abrigo }

 

So long fellows! 

 

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

A vida é passageira, eu sei, aprendo com facilidade, mas então porque não deixo a vida surpreender-me?

 

Surpreender-me com Momentos Mágicos, tenho que aceitar com gratidão o plano secreto da vida, o qual não domino, cheio de momentos que inexplicavelmente são envolvidos em olhares, gestos, emoções e amor.

 

Tenho que me permitir ao diferente, ao novo, ao inusitado, estar preparado para infinitas emoções, sempre, todos os dias da minha vida.

 

A vida, por vezes, surpreende-me de uma forma amarga e triste, obrigando-me a caminhos impensáveis, em locais que jamais imaginaria estar, a vida é mesmo assim, tento construir a minha vida pedra a pedra e com isso vou aprendendo, ora com os triunfos ora com os fracassos. A vida na sua essência é um quebra-cabeças enorme, não consigo vislumbrar o que será da minha vida de hoje em diante, não tenho esse dom, o futuro é uma incógnita, mas posso aprender a compreender o passado e construir um futuro sobre essa base, cabe-me a mim não cair nos mesmos erros, tirar conclusões e aceitar as minhas decisões. 

 

Nada é por acaso nesta vida, só não posso é desistir, nunca. 

 

Mas, a vida também me surpreende de uma forma generosa, inesperada, essas surpresas chegam como presentes, que por muitos anos desejei, mas fico-os a ver escapar como a água de uma fonte a escorrer pelas minhas mãos abertas, deixo-a passar num simples toque suave, passa por mim sem marcar e por mais abertos que estejam os meus olhos, parecem sempre fechados, impossibilitados de ver mais à frente, eu estou aqui, talvez não tenha percebido a existência ou a existência tenha percebido a mim.

 

Como é normal a vida surpreende-me a cada dia e hoje reconheço que apesar de tudo, quando penso que tenho tudo controlado, tenho uma nova surpresa para me fazer feliz e tenho de aprender a aproveitar porque tenho de me permitir a esse direito.

 

Não posso deixar para amanhã, o que posso viver hoje... tenho de perder o medo de errar.

 

O melhor é seguir em frente e deixar a vida surpreender-me. 

 

Obrigado pela surpresa

Moralez

 

So long and surprise me!

 

 

Autoria e outros dados (tags, etc)


Casais felizes e redes sociais

por Moralez, em 20.02.17

Casais felizes e as redes sociais a respeito do post da minha Psicogata.

 

Vivemos num tempo estranho, uma época onde uma atualização numa rede social significa mais do que acontece na vida real. As pessoas têm prazer a avaliar a vida dos amigos e conhecidos, a medir likes e comentários, a analisar publicações e fotos.

giphy-1475033777.gif

Mas será que a felicidade dos casais nas redes sociais reflete a sua felicidade na vida real?

Alguns estudos recentes demonstram o contrário.

Casais felizes não têm necessidade de partilhar a sua vida nas redes sociais e a explicação é lógica.

Quando as pessoas estão felizes numa relação, vivem o aqui e o agora. Se na vida real, tudo está bem, não faz grande sentido perder tempo a escrever publicações nas redes sociais para demonstrar o quanto se está feliz em determinado momento.

Um casal que torna públicos todos os seus desentendimentos e diferenças, só prejudica a relação, expor os seus problemas nas redes sociais é a pior maneira de tentar resolvê-los, essa abordagem acaba muitas vezes por agravar o conflito porque atrai e prolonga a atenção para o mesmo.

A necessidade de publicar constantemente declarações de amor demonstra insegurança ou procura de aprovação, se a relação está bem, os dois sabem disso não é preciso repetirem-no até à exaustão, se os dois escolheram estar juntos não necessitam da aprovação dos demais.

Usar a relação para atacar ou ferir alguém para além de não ser correto, demostra que existe ainda alguma coisa por resolver.

Não há necessidade de provar nada a ninguém. Não há necessidade de se usarem mutuamente para expor o quão felizes e apaixonadas estão, formam um casal porque querem, não porque é socialmente aceitável e expetável estar num relacionamento.

Estudos recentes dizem que as pessoas que não usam as redes socais, são na generalidade, mais felizes porque não se comparam constantemente com os seus amigos.

Numa altura em que é mais importante parecer do que ser, a sede de aparentar ser feliz impede-nos de viver a felicidade. É frequente que nos momentos mais felizes, mais descontraídos ninguém pare para atualizar uma rede social.

É claro que cada um vive a relação como bem entende, pessoas que sempre publicaram fotos sozinhas é natural que publiquem fotos acompanhadas, mas quando a exposição é constante e forçada, algo está mal na relação seja do casal, seja do casal com o mundo.

casais-felizes-nao-exibem-o-relacionamento-nas-redes-sociais1.jpg

 

So long lovers!

Autoria e outros dados (tags, etc)


O desenho da vida

por Moralez, em 14.10.16

Estou confortavelmente instalado na minha vida, sei de onde vim, o que faço e para onde vou, na minha mente existe um plano mais ou menos predefinido e com mais curva, menos curva, um desvio aqui, outro desvio ali, mantenho o caminho e sigo o rumo que escolhi.

 

O plano não é elaborado, nem rebuscado, a felicidade advém da simplicidade, e há muito que aprendi que as coisas com mais significado são as que aparentam ser banais.

Na minha cabeça há muito que o plano deixou de ser um esboço para ser um desenho definitivo, abandonei os lápis, preferi a tinta permanente e os rabiscos ganharam contornos definitivos.

 

Os desenhos que traço são depurados de ilusões, são verdadeiros, calculados e realistas, tal como eu, espelham os meus sonhos filtrados pela minha realidade. Acredito que quanto mais simples são as nossas aspirações, mais facilmente as concretizamos.

 

Mas nem só a minha tinta escreve a minha vida, há pinturas externas que interferem com o meu desenho, algumas tintas tornam a minha pintura mais colorida, mais rica, mais bonita, outras tintas são borrões que sujam, mancham e tingem a tela.

 

Há uns meses deparei-me com um borrão imprevisto, um dos frascos que alimentava o meu desenho, entornou-se e derramou uma tinta escura e viscosa no meu desenho, o meu desenho transformou-se, perdeu a nitidez, as cores alegres e a definição dos contornos.

 

Subitamente a mancha que começou pequena estava a espalhar-se por toda a parte e a devorar todo o meu desenho, a consumir as cores, os traços, as linhas, tentei limpar, desenhar de novo, mas as linhas desvaneciam-se, os borrões aumentavam.

 

Questionei o meu plano, as linhas que desenhei, as cores que escolhi, revi vezes sem conta as minhas escolhas, as escolhas que fizeram este borrão não foram minhas, mas o borrão estava ali e tinha de lidar com ele.

 

Sei que a vida é imprevisível, é muito mais imprevisível do que a maioria das pessoas sabe, tive de aprender a lidar com isso ainda novo, quando na vida faltou uma cor, uma cor primária, essencial que nunca poderá ser substituída.

 

Aprendi a pintar sem ela, o meu desenho é um pouco mais pobre, nunca está totalmente colorido, mas lentamente voltou a ter as cores da felicidade. São borrões da vida e temos que aprender a pintar por cima deles.

 

Este foi um borrão diferente, levou-me a questionar as minhas cores, pois não conseguia encontrar sentido, propósito, motivo, abruptamente estava tudo mesclado, uma enorme névoa caiu sobre a tela e eu simplesmente não conseguia ter clareza para definir os contornos.

 

Sorte, justiça, acaso, arrependimento, milagre, o frasco ergueu-se e absorveu a tinta derramada numa mudança tão brusca que parece inacreditável, o desenho que julgava perdido reapareceu, o meu plano, o meu rumo está novamente visível.

 

Perfilo todos os pincéis perfeitamente alinhados diante de mim, a palete de cores impecavelmente organizada, vislumbro os lápis, escolho um e desenho com a mão firme e traço certeiro a primeira linha, o primeiro esboço do desenho que alicerço na mente e trasponho na tela, há espaço para criar e eu sinto-me novamente confiante, inspirado e feliz.

 

A vida é um conjunto de cores que mudam de tonalidade e forma, quando menos esperava a minha pintou-se com as cores vivas da Primavera mesmo que lá fora as cores sejam de Outono.

 

Apenas tenho de fazer as cores fluírem e colorirem o meu desenho com pinceladas precisas e harmoniosas.

 

Obrigado a todos que nos dias mais cinzentos gentilmente me cederam pinceladas das suas cores para colorirem o meu desenho.

 

So long fellows!

Autoria e outros dados (tags, etc)


Pontos de vista...

por Moralez, em 11.09.16

É tão mais fácil quando se compreende que não é necessário concordar, basta aceitar diferentes pontos de vista.

Em caso de dúvida, podes estar errado....

6-9.png

So long fellows!

Autoria e outros dados (tags, etc)


Os “Simpsons” da Vida Real

por Moralez, em 04.03.16

Vejam bem estas pessoas, são a cara chapada de algumas personagens dos nossos desenhos animados favoritos, os Simpsons.

os-simpsons-da-vida-real.jpg

Nunca pensei que pudessem haver pessoas tão parecidas com desenhos animados… 😛

Autoria e outros dados (tags, etc)


Mais sobre mim

foto do autor


Segue-me


Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Follow


Arquivo

  1. 2020
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2019
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2018
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2017
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2016
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2015
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D





Pesquisar

  Pesquisar no Blog

Estatísticas